Levantamento: treinamento técnico e tático








Quanto à função da levantadora temos a convicção que a maioria dos treinadores e pessoas relacionadas com o Voleibol, concordam que é sem duvida a função mais importante e significativa dentro do voleibol moderno; é a jogadora que toca na bola em todas ou na maioria das ações de ataque de uma equipe, dele parte o jogo e a imprevisibilidade, que é uma qualidade indispensável para uma boa levantadora (sobretudo na fase de recepção de saque). A levantadora deve ser aquela atleta que tem o maior controle do jogo, deve raciocinar em função do momento da sua equipe e de suas companheiras em campo. Dentro da filosofia do seu técnico deve executar estratégias regulares, e eficientes, preocupando-se em não repeti-las com freqüência, dificultando assim as ações dos adversários. O jogo da levantadora, antes de ser preciso, deve ser contra o bloqueio do adversário, mais precisamente contra a bloqueadora central adversária, limitando ao máximo as suas ações de bloqueios duplos ou triplos.

Treinamento da técnica

A dedicação ao trabalho técnico das levantadoras da equipe ocorreu em uma freqüência diária nos Blocos A1 e A2, sendo que no Bloco A3 (etapas de treinamentos). O treinamento técnico foi executado não somente individualizado, como também junto com o tático, em situações de jogo propriamente dito. Para o posicionamento das mãos, utilizamos como recurso, a bola de medicineball de 3, 4 e 5 quilos, e também as bolas especiais para treinamento de toques. Com o fortalecimento da musculatura que compõem todo o tronco, acredita-se proporciona a levantadora uma condição melhor de coordenação e precisão no levantamento. Em relação aos deslocamentos, utilizou-se treinamento variado que obrigaram a atleta a aproximar-se da bola em situações de dificuldade, ou seja, aumentando as distâncias e alternando as posições de saída para o deslocamento. A velocidade de deslocamento de uma levantadora pode definir a boa qualidade de seu levantamento e aumentar as possibilidades de escolha tática. A quantidade de levantamentos executados em uma sessão de treinamento, não foi necessariamente uma preocupação para o treinamento. O raciocínio baseou-se na qualidade dos movimentos que estava sendo treinado e não no número de repetições. No treinamento técnico, com a precisão em levantamentos que seriam utilizados, o numero de repetição era controlado de acordo com a etapa de treinamento. Não ultrapassar os limites da atleta, para a preservação de sua integridade física.

Treinamento tático

A tática de jogo de uma levantadora pode ser definida como a procura constante da solução ideal para cada ação de jogo. Acredita-se que a primeira regra de uma tática de jogo, prevê o levantamento preciso sem ser antecipado pelas bloqueadoras, e para tal situação procura-se executar treinamentos onde as levantadoras sejam obrigadas a observar a ação da bloqueadora central adversária para efetuar o levantamento. Outra situação é onde a escolha do levantamento é feita somente em inversões, ou seja, sempre utilizando como opção a maior distancia. Como a tática de jogo de uma boa levantadora deve basear-se na avaliação das características da equipe adversária e da sua própria equipe, a atenção do treinador é direcionada para desenvolver nas levantadoras uma condição de avaliação de jogo. Neste sentido utilizou-se a apresentação para as levantadoras, de diversas partidas, onde as mesmas deveriam avaliar as características destas equipes, para que aprendessem a diagnosticar aspectos que definem a estratégia de jogo destas equipes. A definição tática da equipe do Brasil foi discutida com as atletas e principalmente com as levantadoras. Tais escolhas foram divididas em duas situações: as situações que seriam nosso padrão por posições e as que seriam utilizadas de acordo com as características de nossos adversários. O treinamento foi executado em situações isoladas de cada tipo de bola de ataque de nossas atletas e em um segundo momento na combinação de dois ou três tipos de ataques (fintas). O voleibol moderno exige uma variação muito grande dos tipos de ataque. Nossa preocupação era a de utilizar com uma freqüência maior as atacantes da zona de defesa (ataques de fundo) e esta adaptação se fazia necessária. O treinamento foi executado utilizando até como forma de aquecimento, jogos somente com ataques de fundo, e treinamentos específicos com cada atacante e as levantadoras.

Comente:

Nenhum comentário